The New York Times diz que Bolsonaro ficou 2 dias escondido em embaixada da Hungria após operação da PF
Compartilhe:
Pin Share

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) passou duas noites na embaixada da Hungria em Brasília em fevereiro deste ano, após uma operação da Polícia Federal apreender seu passaporte. As imagens de câmeras de segurança da missão diplomática foram reveladas nesta segunda-feira 25 pelo jornal The New York Times.

De acordo com o veículo norte-americano, os registros de Bolsonaro na embaixada datam de 12 de fevereiro, quatro dias depois de a PF deflagrar uma ação para investigar a trama golpista de 2022. O ex-capitão permaneceu no local até 14 de fevereiro, acompanhado de dois seguranças.

Na embaixada, Bolsonaro não poderia, por exemplo, ser alvo de uma eventual ordem de prisão.

Um funcionário da embaixada confirmou sob reserva ao NYT o plano de receber Bolsonaro, um aliado do premiê húngaro, o extremista de direita Viktor Orbán. Em dezembro, os dois se encontraram na posse do ultradireitista Javier Milei na Argentina.

Procurada pelo jornal dos Estados Unidos, a defesa de Bolsonaro e a embaixada da Hungria se pronunciaram. Ao Metrópoles, porém, o ex-presidente confirmou ter se dirigido à representação diplomática. “Não vou negar que estive na embaixada, sim. Não vou falar onde mais estive”, declarou. Segundo ele, tratou no local de “assuntos do interesse do nosso País”.

A operação deflagrada pela Polícia Federal em 8 de fevereiro fechou o cerco sobre Bolsonaro, militares de alta patente e ex-ministros na investigação sobre uma tentativa de golpe de Estado em 2022. O aval para a ação policial partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.

Compartilhe:
Pin Share

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.