Cultivo de caju anão garante maior lucro à agricultura familiar em Jacaraú

O cultivo do cajueiro anão-precoce tem gerado lucro e transformado a agricultura familiar no município de Jacaraú, Litoral Norte da Paraíba. A planta, melhorada geneticamente, tem um ciclo mais curto, garante uma boa rentabilidade e o aproveitamento integral do fruto. No Assentamento Boa Esperança quatro agricultores participam do cultivo experimental do cajueiro e já colhem bons resultados.

Marcos Francisco de Oliveira, conhecido na região por Quinha, tem atualmente um pomar formado por 200 cajueiros, em uma área de três hectares, que rendem em média 45 caixas de caju por mês. A produção é vendida para supermercados dos municípios de Mamanguape, Mataraca e Jacaraú, porém, os planos do agricultor são expandir a produção e exportar o caju para outros países.

“Eu mesmo não pensava que ia ter isso que eu tenho hoje. Eu já plantei caju, desse comum, e a gente espera dois anos. Esse aqui com um ano já estava com frutos. Desde o mês de Santana (julho) que eu colho caju e ainda tem bastante fruto. Nós temos o apoio dos técnicos da Embrapa, que a cada 20 dias estão aqui nos dando capacitação, tem dois técnicos da Prefeitura de Jacaraú nos dando apoio também”, afirma Marcos.

No início do plantio, o agricultor chegou a duvidar que teria sucesso com o cultivo e foi questionado por outros agricultores da região.

“Eu não acreditava que ia dar isso que está dando. A gente plantou esse caju para colher a castanha, só que depois que teve fruto eu achei melhor vender o fruto do que a castanha, mais lucrativo”, explica.

 

Marcos também cultiva coco, acerola e laranja, mas foi no caju que visualizou uma atividade mais promissora. Presidente da Associação dos Agricultores do assentamento Boa Esperança, ele conta que busca crescer junto com os outros produtores do local.

O caju cultivado é fruto de um cajueiro anão melhorado desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em Fortaleza e pela Embrapa Agroindústria Tropical e foi levado para Jacaraú em uma parceria com a Prefeitura. Os estudos ocorreram através de seleção e cruzamentos de materiais selecionados em todo o Brasil. No assentamento são cultivados quatro clones de cajueiros diferentes, todos anãos, mas com características específicas.

 

Pauta Real