Policial diz que iria fazer diligência, vai à casa de ex-companheira e mata mulher
Compartilhe:
Pin Share

O policial civil Francisco de Assis Toscano, de 47 anos, matou a ex-companheira e depois tirou a própria vida, no final da manhã desta sexta-feira (29), em Florânia, no Seridó potiguar.

Durante o expediente, o agente pegou a arma dizendo que iria fazer uma diligência e foi até a casa de Cícero Dantas Soares, de 43 anos, e atirou nela e em outras duas pessoas que estavam no local. Depois, ele cometeu suicídio.

Cícera e David Araujo de Moura, de 30 anos, morreram no local. O outro baleado foi socorrido para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal.

A Polícia Civil informou que Cícera já tinha medida protetiva contra o ex-companheiro há mais de um ano. A medida proibia que o agente tivesse contato ou se aproximasse dela e também proibia que ele tivesse porte de arma durante suas folgas. No entanto, ele aproveitou que durante o expediente podia usar a arma.

Compartilhe:
Pin Share

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.