Advogado revela que padre Egídio armou compra e locação de carro ao Padre Zé para “incrementar” salário de ex-diretora

O advogado Diego Wallace, que integra a defesa de Jannyne Dantas e Amanda Duarte, revelou em entrevista ao programa Arapuan Verdade, da rádio Arapuan FM, que o veículo Spin comprado com dinheiro do hospital e locado novamente à instituição seria uma forma de “incremento” de salário. A entrevista com o advogado foi ao ar nesta segunda-feira (20), após a prisão do padre Egídio de Carvalho e das ex-diretoras do Hospital Padre Zé, Jannyne Dantas e Amanda Duarte.

De acordo com o advogado, ao ser interpelado pelo jornalista Clilson Júnior, Jannyne teria concordado com a compra do veículo em seu nome e locação ao Hospital Padre Zé “de forma inocente”. Segundo a investigação do Gaeco, o carro foi comprado com dinheiro advindo de recursos recebidos pelo Hospital Padre Zé. A locação do veículo garantia o pagamento mensal de R$ 3.572 para a sua proprietária. A questão é que o carro foi pago com dinheiro do Instituto São José, conforme detalhou a investigação.

O argumento que teria sido utilizado pelo padre Egídio para convencer a ex-diretora é de que o dinheiro decorrente da locação serviria como incremento salarial. Segundo sustentou Diego Wallace, “não era como se ela tivesse alugado. Aquele instrumento foi elaborado justamente nessa condição. Ele disse: ‘eu posso aumentar seu salário. Agora, você terá que fazer isso’”.

De acordo com o relato do advogado, o caso específico do carro “é uma questão muito particular”. Diego Wallace explicou que já fazia algum tempo que Jannyne solicitava aumento em seu salário, o que vinha sendo declinado pelo padre Egídio, que dizia não poder bancar o aumento.

“Houve essa emenda, para locação desse veículo, especificamente. Inclusive, esse veículo ele queria colocar no nome de Amanda. Só que Amanda estava fazendo um financiamento bancário do imóvel dela e não se permitia. Porque o banco faz uma análise de endividamento. Então ele sugeriu que se colocasse no nome de Jannyne. E, de forma inocente, posso até dizer assim, ela concordou”, relatou o advogado de defesa das ex-diretoras.

 

Camila Bezerra