Operação da Polícia Federal investiga advogados e servidores da previdência social na PB
Compartilhe:
Pin Share

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (26) uma nova operação na Paraíba. A operação ‘Natividade’ tem como objetivo desarticular um grupo criminoso composto por advogados que, associados a servidores da previdência social, seriam responsáveis por fraudes na concessão de benefícios previdenciários de salário maternidade rural.

 

O prejuízo estimado foi calculado sobre os valores efetivamente pagos dos 2049 benefícios identificados, que chegam a quase 13 milhões de reais.Até o momento foram cumpridos três mandados de busca e apreensão. A PF detalhou que todos os mandados foram cumpridos no município de Campina Grande, onde foi desenvolvido o esquema criminoso.

Segundo as investigações, as fraudes eram efetivadas na agência da Previdência Social Catolé.

A investigação teve origem com a análise dos dados disponíveis nos sistemas que apontaram a desproporção do número de benefícios de salário maternidade rural concedidos na agência do INSS, alvo da operação ‘Natividade’.

 

Segundo a PF, também foi observado o direcionamento para que a análise dos requerimentos de benefícios previdenciários de interesse do grupo criminoso fossem feitos por um único servidor da Previdência Social, mediante esquema montado para frustrar o fluxo de distribuição automática nos sistemas previdenciários.

Inicialmente os crimes são os de estelionato qualificado e inserção de dados falsos em sistema de informações, cujas penas somadas podem chegar a mais de 18 anos de reclusão e multa.

“Com os resultados das buscas, outros crimes ou envolvidos podem ser identificados”, explicou a PF em nota à imprensa.

 

Por Joaquim Neto

Compartilhe:
Pin Share

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.