Compartilhe:
Pin Share

A polêmica em torno da possibilidade de restrição ao horário de atendimento nos bares e restaurantes ganhou um novo capitulo. Em entrevista na rádio Arapuan, na tarde desta quinta-feira (3), o presidente do Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação de João Pessoa (SEHA-JP), Graco Parente, se disse perplexo com a tentativa de limitar o trabalho do setor.

De acordo ele, caso se concretize a restrição, a categoria acionará a Justiça para solucionar o caso. “No momento em que sair, nos iremos judicializar, se o entendimento for que não pode nenhuma comemoração no final do ano, nós iremos atrás dos direitos”, disse.

Segundo ele, o aumento dos casos da covid-19 está relacionado com a campanha política e não com a reabertura dos estabelecimentos na cidade. “Essa conta de aumento da covid-19 não está na nossa conta, e sim do processo eleitoral que nós tivemos. Os políticos fizeram da forma que quiseram, não vimos nenhuma fiscalização, eles fizeram do jeito que quiseram. Nas festas das vitórias era o que mais se tinha, aglomerações e pessoas sem máscara”, criticou.

Para Graco, houve erros nas fiscalizações durante o processo de retomada com o favorecimento de alguns estabelecimento em detrimento de outros. “Entendemos que a nossa contribuição para o covid-19, quem mais cortou na pele foi o nosso segmento, nos passamos o maior tempo fechado. Não recuperemos o movimento que perdermos e agora sermos surpreendidos com uma nota dizendo que pode restringir o horário?. Essa medida eles conseguem aplicar ou a fiscalização será seletiva, como a gente viu que muitos estabelecimentos receberam fiscalizações diárias enquanto outros nunca viram um fiscal”, desabafou.

Compartilhe:
Pin Share

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.