Professora morre após ser atropelada duas vezes na PB

Uma professora de dança morreu depois de sofrer dois atropelamentos seguidos, na noite de sábado, na marginal da Rodovia Anchieta, em Santos, no litoral de São Paulo. A dançarina Alessandra Andrade, de 43 anos, seguia de Santos para Cubatão, onde mora, quando teve a moto atingida por um veículo, na altura do bairro Piratininga. A mulher foi arremessada da moto e o mesmo veículo a atropelou, mas o motorista fugiu sem prestar socorro. Ao ver a motociclista no chão, outro veículo parou para sinalizar a pista e ajudar a vítima.


Segundo informações repassadas ao Diário do Sertão, a professora era sobrinha do promotor de justiça da cidade de Conceição, Sertão da Paraíba, Osvaldo Barbosa, e a irmã se casaria nesse domingo (3), mas teve que adiar a celebração.

Quando o motorista desse carro iniciava o atendimento à mulher, outro carro surgiu pela rodovia e voltou a atropelar a jovem. O condutor alegou que não teve tempo de frear o carro. Ela chegou a ser socorrida por uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu aos múltiplos ferimentos que sofreu.

Alessandra era professora do Serviço Social da Indústria (Sesi) e seguia para Cubatão após uma apresentação de dança, em Santos.

A polícia está à procura do autor do primeiro atropelamento. Uma placa que caiu do veículo durante o choque com a moto deve ajudar na localização do suspeito. Imagens de câmeras de monitoramento instaladas na rodovia também devem ajudar no esclarecimento da morte da dançarina.

De acordo com familiares, Alessandra era formada em educação física e, além de trabalhar no Sesi de Santos, onde lecionava dança aos alunos e coordenava as apresentações, mantinha um canal em rede social, no qual ensinava vários tipos de dança aos interessados. A morte repercutiu nas redes sociais. “Inacreditável, tanta energia e também alegria explícita. Você vai brilhar no céu, estrela linda!”, postou a amiga Vilma Constantino.









Com Diário do Sertão

Nenhum comentário