Fifa suspende Guerrero por um ano, flagrado no exame antidoping


A Fifa suspendeu nesta sexta-feira o atacante Paolo Guerrero por um ano depois do jogador ser flagrado em exame antidoping em jogo da seleção peruana pelas eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, em 5 de outubro, na Argentina. 

Flamengo pode cobrar salário e rescindir contrato de Guerrero em caso de suspensão longa
A suspensão começa a valer a partir de 3 de novembro de 2017, que é a data que ele foi suspenso preventivamente pela primeira vez. Como o gancho irá durar até novembro de 2018, o experiente jogador está fora do próximo Mundial, perdendo a chance de jogar o torneio pela primeira vez na carreira.

"O jogador testou positivo para o metabólito da cocaína Benzoilecgonina, uma substância incluída na lista proibida da Wada de 2017 sob a classe 'S6. Estimulantes'. [...] Por testar positivo para uma substância proibida, o jogador violou o artigo 6 das Regras Antidoping da Fifa e, também, infringiu o artigo 63 do Código Disciplinar da Fifa", explicou a entidade máxima do futebol.

O julgamento foi realizado em primeira instância, cabendo ainda recurso ao TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), na Suíça, por parte da defesa do atleta.

A quantidade de metabólito de cocaína encontrada na urina de Guerrero é considerada pequena. Os exames mostraram apenas 72 nanogramas por mililitros, o que a Fifa considerou factível com a versão apresentada pelo atleta de que tomou apenas um chá antigripal. 

No entanto, a pena de um ano é a mínima prevista para casos positivos da droga. 

Nenhum comentário