UEPB anuncia concurso com 197 vagas; edital


O reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Rangel Junior, detalhou nesta segunda-feira (2) o quadro de vagas para o concurso da instituição. Ao todo, estão sendo abertas 197 vagas para cargos de nível fundamental, médio e superior. Os salários chegam a R$ R$ 3.396,43. O anúncio ocorre passados menos de 15 dias da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinar ao governo do Estado repasse integral do duodécimo da instituição de ensino. A decisão foi da ministra-presidente, Cármen Lúcia. Ela rejeitou o pedido de liminar protocolado pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) contra decisão do Tribunal de Justiça da Paraíba, que já havia determinado o fim do contingenciamento.

De acordo com o edital, o período de inscrições para o concurso será de 9 a 29 de outubro. O dia 30 deste mês será a data limite para o pagamento do boleto. As inscrições custarão R$ 60 para nível fundamental, R$ 80 para o médio e R$ 100 para o superior. As provas serão aplicadas em Campina Grande, no dia 3 de dezembro. Para o fundamental, estão sendo oferecidas 92 vagas para auxiliar administrativo e três vagas de auxiliar de laboratório de análise físico-químicas. Serão 94 vagas para o médio, sendo cinco para almoxarife, 86 para assistente técnico, uma para técnico de segurança do trabalho e duas para desenhista projetista. Para o superior, será uma vaga para administrador, uma para advogado, duas para pedagogo, uma para economista, uma para psicólogo, uma para farmacêutico industrial, uma para secretário executivo.

Os salários serão de R$ 1.502,24 para os servidores de nível fundamental, R$ 2.394,35 para o nível médio e R$ 3.396,43 para o nível superior. O reitor Rangel Júnior explicou que a realização do concurso estava sendo planejada há três anos. A situação, agora, segundo ele, ficou insustentável. Tem mais de 500 pessoas que não são do quadro efetivo prestando serviço na instituição de ensino. “A segurança da UEPB em grande parte é terceirizada. Há muitos ainda que deverão se aposentar. As ameaças com a reforma da Previdência tem feito com que as pessoas corram para se aposentar e isso tem provocado um esvaziamento muito grande no nosso quadro de servidores efetivos na universidade”, disse.

Rangel Júnior lembrou a história da universidade, com mais de 50 anos. Ele lembrou que a instituição vai completar 30 anos da estadualização. “Ainda é um ótimo lugar para se trabalhar”, ressaltou o reitor. Em entrevista recente ao Jornal da Paraíba, o reitor explicou que a realização do concurso independe do aumento no repasse de verbas para a instituição pelo governo estadual.









Jornal da PB