Relator da Lava Jato, Fachin pode ser 'fritado' na CPI da JBS


O ministro do Superior Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Lava Jato, está na mira da CPI da JBS, que tentará "fritá-lo" com o depoimento do ex-diretor de relações institucionais da J&F, Ricardo Saud, marcado para a semana que vem.


A ideia dos parlamentares é fazer com que o agora relator explique trecho da gravação de sua conversa com Joesley Batista, um tanto confuso, no qual diz que "vai fazer igual Fachin (...) e "beber até 5 horas da manhã".

Segundo a coluna "Painel", da Folha de S. Paulo, corre entre os integrantes da CPI a informação de que Fachin teria pedido auxílio a Saud em 2015, quando pleiteava uma cadeira no Supremo, para que ele lhe ajudasse a contatar parlamentares. Fachin teria, ainda, participado de um jantar com Joesley.

O ministro nega ter tido qualquer auxílio de empresas ou grupos durante sua campanha ao STF.






NM