Governo distribui mais cargos para abafar nova denúncia


Às vésperas da apresentação de nova denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) pela Procuradoria-Geral da República, o governo federal redistribui mais de cem cargos no governo para punir deputados infiéis e conter uma rebelião na base aliada, destaca o jornal Folha de São Paulo.


Ao longo do mês, foram demitidos aliados de quem votou pela sequência da acusação de corrupção passiva contra Temer no caso JBS/Friboi.

Os cargos vão para os que rejeitaram a denúncia de Rodrigo Janot e se comprometem a manter a posição.

Temer hesitava em retaliar traidores para não criar nova tensão na Câmara, mas decidiu acelerar as mudanças a fim de aplacar reclamações de partidos de sua base e evitar revés na votação, ainda conforme o jornal.

O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil, foto) disse que as possibilidades de o procurador-geral apresentar nova acusação contra o presidente Temer nos próximos dias são “as maiores do mundo”.