Suspeitos de negociar imóveis de forma ilegal e emitir cheques roubados são presos


A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) de João Pessoa, prendeu, na tarde desta quarta-feira (30), o corretor de imóveis Rodrigo Oliveira de Melo, 35 anos, e Jefferson Freitas de Lima, 26 anos, que, de acordo com a polícia, estava exercendo de forma ilegal a profissão de corretor de imóveis. Os dois são suspeitos de praticar o crime de estelionato. As prisões foram realizadas em uma residência localizada no bairro dos Bancários, zona sul da Capital.

Os policiais da DDF chegaram aos suspeitos após denúncias apresentadas por seis vítimas. As pessoas informaram que haviam sido enganadas durante negociações de imóveis. Uma das vítimas chegou a fazer um depósito no valor de R$ 54 mil na conta da mulher de Rodrigo, acreditando que estava depositando o valor na conta do proprietário do imóvel que estava comprando. Quando descobriu que a transação era um golpe, a vítima tentou reaver o dinheiro, mas não conseguiu. Ela apresentou na polícia o comprovante do depósito.  

Os suspeitos também chegaram a marcar com uma vítima um encontro em uma agência bancária, informando que seria para o financiamento do imóvel, só que o crime foi descoberto na manhã desta quarta-feira, após o verdadeiro proprietário ter sido localizado pelos agentes de investigação da Delegacia de Defraudações e Falsificações. Na delegacia, os dois suspeitos ainda tentaram manter a versão de que o imóvel oferecido à vítima estava à venda, mas o proprietário negou e disse que não conhecia Rodrigo e Jefferson. 
  
Com os dois suspeitos os policiais encontraram um recibo no qual a vítima teria  pago R$ 1 mil como sinal pela compra de um apartamento no bairro Cidade Universitária, um contrato de venda com assinatura reconhecida em cartório que mostra que outra vítima pagou 35 mil reais referente a um sinal de compra de uma casa no bairro Jardim Cidade Universitária. Também foram apreendidos três cheques com valores de R$ 3 mil e R$ 3,5 mil e documentos.     

A polícia já encontrou seis vítimas dos suspeitos. “Nesse primeiro momento descobrimos que Rodrigo e Jefferson já causaram um prejuízo superior a 200 mil no comércio de João Pessoa. Existem informações de que os suspeitos atuam ainda com a emissão de cheques bancários roubados e já fizeram diversas negociações fraudulentas de imóveis. Os dois investigados foram presos em flagrante pelos crimes de estelionato e associação criminosa”, disse o delegado titular da DDF Lucas Sá.

Rodrigo Oliveira de Melo ainda vai responder pelo crime de exercício de atividade com violação de infração administrativa, uma vez que está suspenso pelo Creci há mais de um ano. A Delegacia de Defraudações e Falsificações vai continuar em diligências para localizar mais dois corretores de imóveis que participaram da negociação. A autoridade policial pede para que as vítimas dos suspeitos procurem a DDF, que fica na Central de Polícia, no Geisel, para que sejam registrados os crimes.







assessoria