Iphaep participa de oficina com alunos da rede pública para resgatar os 60 anos de Belém


Em setembro deste ano, mais exatamente no dia 6, o município de Belém, localizado na Mesorregião do Agreste paraibano e na Região Metropolitana de Guarabira, estará completando 60 anos de existência. Agora, a história da cidade será contada pelos estudantes da Escola Municipal de Ensino Fundamental Anita Barbosa Lima. O trabalho será resultante da oficina “Fontes históricas, como pensar e construir a história da nossa cidade”, ministrada, neste semestre, pela professora Sabrina Rafael Barbosa. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba participou de uma das aulas, por meio das explanações de dois dos seus técnicos.

Eles destacaram as ruas e casas que retratam o início da cidade e falaram acerca do tema “Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural de Belém”. O arquiteto Gúbio Mariz explicou quais os tipos e influências arquitetônicas do nascedouro da cidade, enquanto que o arquivista Jefferson Dantas comentou para os alunos sobre a importância do uso de fontes documentais, como fonte primordial para o resgate da memória social/local.

Segundo revelou a coordenadora do Instituto do Patrimônio estadual, Cassandra Figueiredo, a parceria com a escola permitiu a construção efetiva de uma ponte memorialística com os alunos, no sentido de resgatar fatos, histórias e monumentos da população e da cidade paraibana.

CONTEÚDO – A professora Sabrina Bezerra – idealizadora da oficina – explicou que o projeto se norteia em dois princípios básicos: “propiciar ao estudante o estudo crítico das fontes históricas como ferramentas para construção da memória e patrimônio de um lugar e discutir o uso das fontes para construção de capítulos de um livro que será o objetivo final da oficina”.

Ela também convidou o professor Júnior Miranda para participar da oficina, que será realizada sempre às quintas-feiras, das 14h às 17h, e terá caráter optativo. Além da aula inaugural, num outro momento presencial, o professor vai destacar os aspectos básicos da geografia do município, que está localizado na região metropolitana de Guarabira: o relevo, a hidrografia, o clima, a vegetação e a demografia de Belém.

Até o final desse semestre, serão realizados sete encontros com os alunos, nos quais serão destacados os seguintes temas: O que é uma pesquisa histórica?, documentos oficiais, fotografia, literatura e história oral, patrimônio histórico (Iphaep), geografia, noções básicas, método e escrita: o livro sobre Belém e pesquisando para escrever. Ao término da oficina será lançado um livro, “onde contaremos a história da cidade: desde os primeiros habitantes até a emancipação política”, revelou a mestra Sabrina Bezerra.

Ela comentou, ainda, ser de vital importância a participação do Iphaep, neste momento de construção, “no sentido de que tenhamos elementos, especialmente no tocante ao patrimônio material e imaterial e os documentos oficiais, que possam resgatar a memória de Belém e embasar as pesquisas dos alunos da rede municipal”.






Michele Marques